Formas Naturais de Induzir o Parto

Em primeiro lugar, convém ter presente que apenas cinco por cento das mulheres dão à luz na data prevista. Algumas entram em trabalho de parto antes, mas a maioria dá à luz alguns dias depois desta data. Na verdade, a data prevista, apontada pelo médico no início da gravidez, não é mais do que uma referência. Uma gravidez só é considerada pós-termo depois de ultrapassadas as 42 semanas.

Em muitos países europeus, só se faz indução por rotina às 42 semanas e não às 40 ou 41 como acontece em Portugal, na generalidade dos hospitais.

Como pode ler-se no «Guide to Effective Care in Pregnancy and Childbirth», «A indução do trabalho de parto antes de 41 semanas de gestação não está associada a qualquer vantagem além de uma pequena redução da presença de mecônio no líquido amniótico. A redução da morte perinatal associada à indução de trabalho de parto parece ser limitada a gestações a partir de 41 semanas de duração. Uma política de indução rotineira com 40-41 semanas em gestações normais não pode ser justificada à luz desses dados de estudos controlados, e é inaceitável para muitas mães

Se está nesta situação, sentindo-se pressionada pelas datas, pelos médicos, pela família, pode tentar alguns métodos naturais de estimulação do trabalho de parto. Estes métodos só irão funcionar se o colo do útero estiver maduro, ou seja, se o trabalho de parto estiver na realidade para breve. Caso contrário, não terão qualquer efeito, ou seja, também não têm contra-indicações, portanto não perde nada em tentar.

Sexo
A actividade sexual pode fazer desencadear o parto por duas vias. Por um lado, o esperma contém prostaglandinas (hormonas envolvidas no parto), que amolecem a cérvix e promovem o apagamento do colo do útero. Alguns dos medicamentos usados na indução do parto, no hospital, são precisamente prostaglandinas sintéticas. Não pense, contudo, que o esperma poderá trazer riscos antes do final da gravidez, desencadeando partos prematuros. Ele só poderá ter algum efeito se o colo do útero estiver já em processo de amadurecimento.

Por outro lado, o orgasmo feminino também pode ter o seu papel no desencadear do parto, pela grande libertação de ocitocina que provoca. Esta é outra das hormonas também envolvida no processo de parto fisiológico. E também, na sua forma artificial, na indução do parto no hospital.

Caminhar
É um dos conselhos dados por todos os médicos na fase final da gravidez: «Ande muito». Estar em posição vertical e caminhar pode ajudar o bebé a descer mais um pouco. Mesmo com o trabalho de parto iniciado, convém caminhar, manter-se na vertical, podendo pôr-se de cócoras na altura das contrações.

Aproveite para dar grandes passeios. Se estiver cansada, descanse um pouco e depois recomece. Vá bebendo água. E conversando com o seu bebé.

Banho quente
O efeito da água quente está estudado: promove o relaxamento dos músculos, a circulação sanguínea, a descontracção. Portanto, pode ajudar no desencadear do parto.

Plantas medicinais
Chás de gengibre, cravo e canela podem ajudar a desencadear o parto.

As emoções
Estar preparada emocionalmente para a chegada do bebé é um pressuposto essencial para que o parto se inicie. A enfermeira Lúcia Leite afirma que «a preparação para o parto se faz na cabeça e no coração». Por vezes, são bloqueios emocionais que estão a impedir o trabalho de parto. Converse com alguém da sua confiança. Abra-se e verá que tudo correrá bem.

Texto: Ana Esteves
Revista IOL Mãe
2009/04/17

Podem ler o artigo completo aqui.

3 Responses to “Formas Naturais de Induzir o Parto”

  1. Muito interessante.

  2. Olá Ricardo!

    Obrigada pelo seu interesse. :)

    MJ

  3. Porque em Portugal não se deixa a gravidez chegar até as 42 semanas?
    Porque é que andam a fazer partos prematuros?

Leave a Reply